quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Loira rabuda gostosa levando gozada na bunda gostosa


8 comentários:

  1. Que potranca ! Moro no Recreio dos bandeirantes e sou vizinho de porta de uma gostosa casada como esta. Vejam. Sou militar aposentado. Solteiro. Tenho 63 anos. Mulato, sou forte, vida regrada, pratico corridas de manhã e, graças a tudo isso, ao bom preparo físico, meu caralho ainda funciona perfeitamente ficando duro feito aço tendo esta maravilha de pica 24 centímetros e grossa pacas garças a genética ! Mais de 10 centímetros de circunferência. E sou 'leiteiro'. Com cabelos lisos com reflexos loiros, minha vizinha, além de uma bunda de deusa igual a esta potranca da foto, de bunda grande, carnuda - carne dura e pele macia - esta bela mulher é casada e tem dois filhos pequenos. Aparenta ter 30 anos e parece estar muito bem no casamento. O marido é um sujeito trabalhador e fanático pelo Flamengo. Tudo corria bem e sou daqueles homens discretos levando meus casos altas horas da noite. Mulheres, profissionais ou não, casadas ou não, levo para sair e, à noite, de madrugada, ou levo para motéis ou para casa , tendo cuidado, caso seja na minha casa, para sair discretamente. Caço de dia e marco para sair à noite. Levo para minha casa. Isso. As casadas são mais complicadas levando-as, na sua maioria esmagadora, para os motéis, a tarde. Mas teve uma que resolveu ir trepar na minha casa porque estávamos na praia de Grumari, perto do meu prédio e o marido estava longe, no exterior. Uma gostosa de academia de 42 anos. As cervejas, o calor, o trânsito na Barra e no Recreio, o tempo passando, tudo me fez leva-la para o meu apê.Pressa de pegar a boazuda. Trepamos feito loucos, que bunda comi com ela gemendo e mordendo a fronha. Gamou tanto que chegamos as 5 da tarde e meia noite ela se deu conta que teria de ir embora. Ai aconteceu o inesperado.

    ResponderExcluir
  2. Quando estávamos descendo, a minha vizinha saiu do apartamento dela usando um shortinho mínimo, camiseta amarela sem manga( e sem sutiãs) com barriga a mostra e tamancos de borracha altos dirigindo-se para o elevador. Quem foi na minha frente foi a tesuda que estava comigo e parou do lado da loiraça rabuda, minha vizinha. Se cumprimentaram mas, coisa de mulher, se olharam meio desconfiadas. A minha 'comida', mais velha mas um verdadeiro tesão. Minha vizinha, mais nova mas, como diria..., nos cascos ! Duas potrancas no elevador e eu no meio. Minha vizinha ficou me olhando, sorrindo. "Vou buscar o azeite que ,acho, deve ter corrido dos sacos de compra dentro do porta malas... Ou me roubaram no supermercado. Tô comendo pizza com o meu marido e dei falta do azeite". Ela saiu na frente, se despedindo, e vi aquela bunda grande, dura e gostosa indo na minha frente. Minha loba gostosa disse depois, no carro dela, ter uma bela rabuda para meter e,' se fizer direitinho como hoje fez comigo, ela se apaixona ' ! Disse para parar de brincadeira porque era casada... ela rui e respondeu: " E eu " ? " Não, mulher... é porta a porta... Você mora no Leblon...". Voltei para casa, pau doendo da foda forte mas não sem pensar na loira rabuda que morava ao meu lado - http://splashurl.com/nvh7v78 -. Esse tipo de rabo não é fácil. Para um bom bundólogo é o tipo de bunda de cuzinho bem apertadinho. Coisa de louco ! Mulher com um rabo desses se deixar ser penetrada no cú, vai enlouquecer o macho ! É apertadinho ! Já peguei uma mulata Sargentelli assim, muitos anos atrás. Quando gozei, quase desmaiei ! Foi uma luta, estava descontrolada e tive de dar palmadas fortes, segurá-la com força. Logo depois da enrabada, se apaixonou perdidamente pelo comedor 'maldoso' que tive que passar uns dias longe do trabalho. Um Coronel me ajudou dizendo ter sido transferido para a Amazônia. Acabei indo um mês depois. Houve uma mudança considerável na maneira com que a vizinha me olhava após o ocorrido naquela quase madrugada. Mesmo com o marido, me olhava respeitosamente. Na praia, ela de óculos, deitada de bruços queimando aquela maravilha redonda, parecia me olhar todo instante. Fui até a água ela me acompanhado com os olhos. O marido veio conversar comigo 'abobrinhas' e ela sem óculos por um instante, notei olhar para o meu calção, perdida. 'Mediu' o tamanho. Mulheres, não se enganem, sem falar, caladinhas, medem ! 63 anos e sendo paquerado por uma mulher casada de 30 anos presumíveis. E eu já de olho naquele rabo maravilhoso. Passou-se um mês. Uma quarta feira, 22 horas, faltou luz. Um calor desgraçado. Escuto baterem na minha porta. Era ela. Com um lanterna, mandei ela entrar e ela entrou. Na sala estava com um lampião moderno( chinês). Estava sozinha, os filhos na casa da mãe e o marido com os amigos em Jacarepaguá assistindo o jogo do Mengão. Estava com um vestido colado ao corpo, bastante vulgar, do jeito que todo macho gosta - http://splashurl.com/qew4ct7 -. Obviamente, estava me testando. Aliás, ela faz o tipo da gostosona desta foto por isso coloquei-a. Perguntei se queria beber algo já que bebia uma caipivodka. Ela quis o mesmo e fui para a cozinha preparar uma com vodka russa. Ela nunca tinha bebido vodka russa. Disse para ir com calma porque parecia água de tão bem destilada.

    ResponderExcluir
  3. Estava de bermuda e sem cueca, o 'bicho' solto. Ela sorriu certo momento e perguntei porque do sorriso. Ela disse: "nada, não...". Sem luz, na penumbra agora porque deixei de propósito o lampião de led na cozinha americana do meu apê com a bancada escondendo-o.Conversamos comigo dizendo quem eu era e como cheguei até lá no Recreio. Ela contou da história dela e assim fomos 'indo'. Ela se empolgou e começou a falar do marido e que estavam brigando muito. Disse não ouvir e realmente, nunca ouvi mesmo. As discussões estavam cada vez mais fortes mas com uma educação e frieza, aquelas que mais machucam. " É se saísse tapa, dava cama...", disse, arriscando. Ela me olhou e perguntou se podia contar um segredo. Disse que sim. Ficou mais de 5 minutos para contar o tal segredo. bebeu mais uma caipivodka. O celular tocou e era o marido dizendo que ficaria mais uma hora após o jogo com os amigos. 10 minutos se passaram. Parecia uma menina. " Contaria para quem ? Meus amigos são todos velhos com eu...", disse e fazia de tudo para que ela olhasse para o meu caralho estufado no meio das bermuda. Estávamos no sofá, comigo com os pés na mesa de centro. Ela olhava para ele com muita 'curiosidade'. " Sabe, eu tenho algo que todos os homens adoram e o meu marido não...", falou e me olhou desafiadora. Disse para ela prosseguir não me aguentando mais porque a minha última gozada tinha sido duas semanas antes numa nova trepada com aquela puta casada da praia de Grumari, só que no motel. " Meu bumbum... Ele tem nojo de ficar com.... casca de feijão na ponta do caralho...", completou e ficou me olhando. " eu não tenho nojo algum e, se você estiver necessitada de tem um caralho no seu bumbum, estou aqui. E não fique envergonhada porque muitas mulheres com bumbum bonito como o seu sentem falta de um pinto no cuzinho. Mas vou logo avisando, sou bem dotado mas tenho a experiência ao meu lado. Olha só, já ficou duro... Que horas são ? Quer vê-lo "?, respondi. Eram 11h 05 da noite e mal tinha começado o segundo tempo do jogo, o marido dela não voltaria nem em duas horas.

    ResponderExcluir
  4. " Temos tempo suficiente para uma bom anal... Tá vendo a mesa de centro ? É toda de madeira. Vou pegar um colchão de ginástica que tenho e vou prendê-lo com umas cordas na mesa de centro, deixa eu tirar tudo... Vou pegar um espelho móvel no quarto de visitas..." e fui buscá-lo mais as cordas e "... o lampião para cima da bancada, para iluminar a cena... Vou botar o espelho móvel em cima da mesinha do abajur.... pronto ! Agora vou prender o colchonete. Assim... Fica de quatro mulher " ! E ela foi toda animadinha ! perguntei se estava me vendo bem, atrás dela. Sim ! Dar o rabo só como se a mulher me ver 'trabalhando' ! " Azeite ou KY "? , ela nunca tinha sido penetrada no rabo com azeite e assim foi. Tomou um susto quando viu o tamanho do membro que encararia o rabo e pediu calma. Disse que poderia ficar tranquila. vestido levantado, calcinha abaixada e pau lubrificado. A cabeçorra entrou fácil com ela sentido a pressão dela. me olhava sentindo dor e mordendo os lábios. Depois, foi o tronco, bem devagar com ela rebolando. Rabo grande, cú apertado. Quase 10 minutos depois e metade aquela bunda tinha engolido. Forcei um pouco mais mas ela estava suando frio e eu iria arroba-la se fosse ser 'maldoso'. perguntei se topava uma 'curra'. Topou. Segurei-a com força antes passei mais azeite, e fodi socando forte. Ela gemia forte e tive que dar uma almofada pequena que estava ao meu alcance para que mordesse. Os outros vizinhos poderiam ouvir. Falava um monte de sacanagem no ouvido dela e avisei que iria esporrar. parei e tirei um pouco o membro para dar espaço para a porra quentinha em jatos vigorosos. Ela gozou, disse ela, com a pulsação do porrete no rabo ! Após a trepada, vendo que tinha tempo, aceitou dar a boceta no tradicional estilo papai mamãe, no quarto. Esporrei na barriga dela indo até os seios. Foi embora satisfeita. O casamento dela melhorou e o corno não desconfia de nada. Vou pouco na boceta já que, se arrombar, ele que tem piroca normal, diz ela de 15cms, poderá desconfiar. Como a boca não estraga - a moça adora beber porra - e no cú que, pelo tamanho da bunda está bem escondidinho, compareço de duas em duas semanas( ela que manda) já que o corno não come, vamos levando o nosso caso porta a porta.



    RICO26CMS

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Quero fude a buceta dela e encher a boca dessa gostosa de porta.✌❣☣

    ResponderExcluir